Técnicas e dicas para reduzir a ansiedade

O SAR define ansiedade como: “O estado de agitação, inquietação ou ansiedade”. No entanto, realmente aqueles que já sofreram, sofrem esporadicamente ou por aqueles que são seus grandes companheiros da vida cotidiana é algo que merece uma definição de mais de nove palavras.

Em primeiro lugar, nem toda a ansiedade é prejudicial ao nosso corpo e mente, há um certo nível de ansiedade positiva, aquela pequena inquietação que nos ajuda em situações complicadas a sair. Ou seja, nos ajuda a estar atentos a possíveis perigos ou atentos a eventos relevantes. Funciona como uma espécie de “anjo da guarda” no interior.

A ansiedade também pode ser negativa.

Por outro lado, encontramos ansiedade negativa … Como é diferente do anterior? Esse tipo de ansiedade causa um medo exagerado e irracional de um evento (como o medo de falar em público, subir em um elevador, etc.) que, além das reações psicológicas óbvias, é acompanhado por reações físicas (sudorese, palpitações, tremores, desconforto gástrico …) na expectativa de que algo catastrófico aconteça, mesmo que isso seja muito improvável.

A grande vantagem é que essa ansiedade pode ser tratada fazendo o uso de suplementos naturais como o captril, porém muitas pessoas ainda tem dúvidas se o captril funciona mesmo, mas ele é um suplemento aprovado pela anvisa que não tem nenhum tipo de efeito colateral e realmente funciona.

Vários distúrbios são derivados de ansiedade negativa, tais como:

  • Transtorno do pânico
  • Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)
  • Fobia social (ou transtorno de ansiedade social)
  • Fobias Específicas
  • Transtorno de ansiedade generalizada (GAD)

Técnicas para reduzir a ansiedade

Embora cada um deles tenha um tratamento específico, podemos adicionar uma série de técnicas que ajudam a melhorar os estados de ansiedade:

1. Exercício Físico

O  exercício vai ajudar-nos a evitar ativação excessiva do sistema nervoso e obter um sono mais repousante. Se o nosso estado físico não nos permite realizar o exercício, podemos optar por ritmos suaves em intervalos curtos.

2. Sono e hábitos alimentares

Uma dieta desequilibrada pode prejudicar alguns sintomas gastrointestinais associados a alguns estados de ansiedade, uma dieta saudável e equilibrada nos ajudará a controlá-la. Quanto ao sono,  os benefícios de dormir bem são óbvios, se vemos que a ansiedade não nos deixa dormir (ou pior, o pensamento de que não podemos dormir, não nos deixa dormir) podemos escolher ler algo chato até que o próprio sonho venha para nos visitar

3. Modelagem (observação)

Como aprendemos com  Albert Bandura, podemos usar a modelagem observando outras pessoas que não demonstram ansiedade por eventos que não mostramos esses sentimentos temidos. Mesmo conversando com pessoas que conseguiram superar os problemas de ansiedade e que discutem as técnicas que funcionaram para eles, restaura a esperança de que possam controlá-lo.

4. Senso de humor

Nossa tendência para situações que nos causam ansiedade é reagir negativamente e levar isso muito a sério. Às vezes, uma pessoa com ansiedade não consegue perceber o quão ridícula sua reação pode ser. É importante também ver a parte divertida e otimista dos problemas. Por exemplo, antes de um pensamento recorrente, podemos tentar cantá-lo ou nos dizer em outro idioma.

5. Meditação e Atenção Plena

É provável que você já tenha ouvido falar sobre Mindfulness , é uma técnica de meditação que irá ajudá-lo a obter mindfulness. Em um ambiente descontraído, onde você se certifica de que ninguém vai incomodá-lo, concentre-se em sua respiração, nas sensações corporais, no som ou em um objeto e pratique a atenção plena. Se você quiser conhecer diferentes maneiras de praticar a Plena Atenção.

6. Métodos de distração

Se usarmos distrações apropriadas, podemos interromper, mesmo que temporariamente, o pensamento que nos causa ansiedade: pare de pensar, ler, lazer, caminhar, entre outros.

7. Psicofármacos

É possível que sua ansiedade tenha um componente físico. Se o seu médico confirmar que sua condição médica não é física, mas mental, você pode solicitar uma consulta com um psiquiatra e que alguns ansiolíticos podem ajudá-lo. Medicamentos podem ser muito úteis, embora você também deva fazer sua parte. Não pense em se automedicar, mesmo que alguém tenha lhe dito que tudo correu bem.

Recaída quando se sofre ansiedade

No caso de ter sido ou estar participando de  psicoterapia, não tome recaídas como um fracasso, mas algo que podemos aprender e saber melhor para prevenir no futuro.

Antes de terminar, uma dica …

E lembre-se, claro, que a ansiedade é como o nosso guardião interior. Aprender com isso, aprender a lidar com isso, pode nos ajudar a estar atentos às situações certas e a sair de nossos desafios pessoais do dia-a-dia. Com estas sete técnicas e estratégias para reduzir a ansiedade, você pode estar mais perto de estabelecer um novo rumo em sua vida.

5 dicas para amenizar os sintomas da menopausa

A menopausa é o período fisiológico depois da última menstruação espontânea de uma mulher e pode acontecer entre os 45 e 50 anos. Durante o tempo da menopausa, muitos sintomas aparecem na vida das mulheres. Entre eles estão: insônia, suores noturnos, depressão, osteoporose, ondas de calor, irritabilidade etc.

Portanto se você está sofrendo com essa fase, não deixe de ler X dicas para amenizar os sintomas da menopausa.

1 – Tenha uma dieta balanceada

Evitar alguns tipos de alimentos, poderá fazer muita diferença durante o período. Por isso, não consuma complementos vitamínicos se não for necessário porque, desta forma, poderá piorar alguns sintomas causados pela menopausa, a exceção é para produtos naturais, o Max Amora Funciona, porque foi tem uma fórmula específica para para tratar os desconfortos da menopausa.

Elimine do seu cardápio as gorduras saturadas que vem, por exemplo, de queijos, carnes, embutidos, chocolates e sorvetes cremosos.

Com a dieta balanceada, você amenizará o ganho de peso que as mulheres costumam ganhar nesse período.

2 – Não fique parada!

A inclusão da atividade física no seu dia a dia fará muito bem à sua saúde, principalmente, no durante a menopausa. O esporte traz mais disposição e ainda trabalha o organismo, também ajudando no emagrecimento.

Não precisa ser exercícios pesados. Pode ser, por exemplo, uma caminhada de uns 30 minutos pelo o seu bairro. Tente repetir a atividade de duas a três vezes por semana.

Outro tipo de atividade importante que devemos fazer, é exercícios para a mente, pois a menopausa pode causar perda de memória. Opte por palavras cruzadas, por exemplo.

3 – Beba água gelada

Como o famoso sintoma da menopausa são os calorões que as mulheres sentem, a água é a sua grande amiga nesse tempo. Portanto, beba bastante água para que sinta um refresco e sofra menos com as ondas de calor.

4 – Durma com um ventilador

Para que tenha noites de sono mais agradáveis, o ideal é que durma com um ventilador bem perto da sua cama, evitando os suores noturnos.

5 – Invista no cálcio

Um dos sintomas da menopausa é a osteoporose, por isso, é muito importante que consuma bastante cálcio.

O ideal para as mulheres que estão na pré-menopausa é consumir de 1000 a 1200 miligramas de cálcio por dia. Já no pós-menopausa, é indicado consumir 1500 miligramas de cálcio por dia, 500 mg de magnésio e vitamina D, para ajudar que o corpo absorva o máximo de cálcio.

Assista ao vídeo e conheça mais algumasdicas para amenizar os sintomas da menopausa:

Quais as plantas medicinais mais usadas no Brasil?

Toda planta oferece uma propriedade curativa. O mais importante é saber qual seu poder e como usá-la.

As plantas foram as primeiras formas de cura oferecidas pela natureza usadas pelo homem. Há mais de setenta mil anos, quando os humanos viviam agrupados pelos campos e matas, que essa prática vem passando de geração em geração até os nosso dias.

O homem primitivo, através de necessidades, tentativas, erros, acertos e coragem para experimentar foi aprimorando seu conhecimento e utilizando de sementes, frutos, cascas, folhas e raízes descobrindo o poder das plantas.

Atualmente, o uso das plantas medicinais vem ganhando espaço na ciência. Estudo e pesquisas estão sendo realizados com as plantas e comprovando sua eficácia na cura de várias doenças.

Todos os povos desenvolveram seu conhecimento sobre as plantas e seu uso medicinal, mas é inegável a contribuição dos povos indígenas (Medicina Yanomami) no avanço destas descobertas.

No Brasil não existem dados estatísticos que possam comprovar as plantas mais usadas. Seria quase impossível checar as plantas de uso doméstico.

Porém o Ministério da Saúde (entre 2003 e 2010) financiou um pouco mais de cem pesquisas relativas a este assunto.

O que foi comprovado é que plantas medicinais muito antigas como o aranto, que eram receitadas pelas bisavós, tiveram sua capacidade de cura comprovadas e reconhecidas pela ciência.

Nunca é demais lembrar que mesmo sendo considerada natural, as plantas devem ser usadas com cuidado e orientação. Mesmo aquelas mais comuns e conhecidas devem ser administradas conforme indicação. O uso na quantidade errada ou mal preparada pode fazer mais mal do que bem. Evite a automedicação pois é sempre perigosa.

Então as plantas mais antigas, mais comuns e mais usadas pelos brasileiro (que já passaram por comprovações cientificas) são:

  • Camomila

Possui um efeito calmante por isso é bastante Indicada para ansiedade, insônia e nervosismo. Ajuda também no tratamento de resfriados, má digestão, diarreia, irritação da pele, inflamações nasais e sinusite.

  • Babosa (Aloe Vera)

Seu uso indicado é somente externo pois sua ingestão não é recomendada. Tem um alto poder cicatrizante muito usado em queimaduras, inflamações da pele e feridas.

  • Quebra Pedra

Indicado no combate a infecções urinarias e cálculos renais.

  • Boldo

Excelente auxiliar no alívio de problemas digestivos, indigestão e azia.

  • Guaco

Alivia sintomas de gripes, resfriados e desobstrui as vias respiratórias.

  • Tanchagem (Tansagem ou Transagem)

Seu poder antibiótico age nos casos de inflamações de garganta, intestinos, útero, faringite, aftas, amigdalite, laringite, infecções urinarias, diarreia, azia, diurético, problemas de fígado e estomago. Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

Como combater a ejaculação precoce

A ejaculação precoce sempre foi um problema comum entre os homens, em especial os mais jovens e inexperientes. No entanto, atualmente, vem se tornando uma situação cada vez mais recorrente, o que preocupa muitas pessoas.

Existem muitas maneiras de combater a ejaculação precoce, entre todas elas, o mais indicado é que se busque uma orientação médica. Se você tem pressa para resolver esse problema, vale a pena acompanhar as dicas de como combater a ejaculação precoce deste artigo.

Motivos que promovem a ejaculação precoce

Antes de começar com as dicas para combater esse problema, é interessante que você conheça os motivos principais que podem promovê-lo:

  • Ansiedade;
  • Problemas no relacionamento;
  • Uso de medicamentos como antidepressivos;
  • Uso de substâncias ilícitas;
  • Problemas físicos como distúrbios hormonais, questões genéticas, entre outros.

Dicas de como combater a ejaculação precoce

No vídeo a seguir é possível conhecer alguns exercícios caseiros para combater a ejaculação precoce:

Além desses exercícios e do tratamento realizado por um médico especialista, existem algumas dicas de como combater a ejaculação precoce que podem auxiliar muito, acompanhe:

  • Exercício de relaxamento: procure realizar exercícios que promovam o relaxamento dos músculos na região da pélvis.
  • Posições relaxantes: invista em posições sexuais que não exijam muito esforço físico para serem mantidas, como o tradicional ‘papai e mamãe deitado’, de lado, ou com a parceira por cima;
  • Medicamentos naturais: existem inúmeros óleos e cremes de massagem que auxiliam na circulação sanguínea e melhorando os problemas com ejaculação precoce, power blue gera muitos efeitos positivos com poucos dias de uso.
  • Medicamentos farmacológicos: existem muitos medicamentos capazes de tratar a ejaculação precoce, como antidepressivos, por exemplo. No entanto, é fundamental que eles sejam receitados por um médico;
  • Cremes, pomadas e sprays: atualmente é possível encontrar no mercado produtos como pomadas, sprays e géis que reduzem a sensação na região do pênis, na maior parte dos casos, esses produtos são a base de anestésico;
  • Acompanhamento psicológico: como dito no início, a maior parte dos casos de ejaculação precoce, acontecem devido a problemas de ansiedade. Sendo assim, contar com um tratamento terapêutico pode ser uma boa saída;
  • Treinamento (Masturbação): uma das técnicas mais utilizadas no combate a ejaculação precoce é a masturbação. Consiste apenas no ato de se masturbar e parar antes de chegar ao ápice. Respirando fundo e voltando depois a masturbação.

Sofrer com este problema é terrível, mas agora que você conhece algumas dicas de como combater a ejaculação precoce, ficará mais fácil resolver essa questão. Procure seguir as dicas que melhor convier para o seu caso e, se achar necessário vá ao médico.